Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livros da Mãe

Uma tradutora partilha o que anda a ler

Livros da Mãe

Uma tradutora partilha o que anda a ler

28
Fev19

Mulher, mãe e ... fotógrafa de guerra

Rita

É Isto que Eu Faço - Lynsey Addario

 

addario_4.jpg

(Fotografia Lynsey Addario, Basra, Iraque, 2003)

 

Normalmente gosto de iniciar os posts com a imagem da capa do livro que li mas, neste caso, quis deixar as fotografias da autora falarem por ela.

 

O livro "É Isto que Eu Faço" é a biografia da fotógrafa de guerra americana, Lynsey Addario. Ela começa por falar acerca de alguns episódios engraçados da sua infância e início de idade adulta e de como estes a levaram até à fotografia. 

 

Acompanhamos algumas das suas primeiras experiências internacionais e de como a sua vida muda quando acontecem os atentados de 11 de Setembro. Se até aí o seu trabalho era internacional mas não obrigatoriamente de guerra, a partir desta altura, ela começa a dedicar-se a fotografar os conflitos e as vidas humanas por trás destes no Afeganistão, Iraque, Líbia, República Democrática do Congo, Sudão... Acompanhamos também as duas vezes em que foi raptada e outras situações perigosas que ela viveu.

 

Addario_3.jpg

(Fotografia Lynsey Addario, Kandahar, Afeganistão, 2001)

 

Esta fotografia que ela tirou a apoiantes do regime dos Talibans no Afeganistão aquando do início dos bombardeamentos americanos simboliza muitos dos episódios contados no livro. 

 

A forma como este grupo de homens olha para ela ... Espantados, surpreendidos, curiosos, zangados... Ela era quase sempre a única mulher no local onde estava a fotografar e muitas vezes teve que enfrentar situações complicadas apenas por ser mulher. (Nota: O Afeganistão do tempo dos Talibans não foi, surpreendentemente, o local mais difícil onde ela trabalhou.) Ao lermos este livro, ganhamos um respeito muito maior pelo trabalho das mulheres fotógrafas e jornalistas, que trabalham em condições difíceis para nos mostrarem o que anda a acontecer bem longe de nossa casa e da nossa realidade.

 

Addario_2.jpg

(Fotografia Lynsey Addario, Darfur, Sudão, 2004)

 

Como mãe, gostei de ler acerca da experiência dela a conjugar a maternidade e uma profissão que a maior parte de nós não associa a casamento/ filhos. Fiquei um pouco triste ao ler comentários de leitores que a acusavam de ser egoísta porque não tinha abdicado desta carreira quando tinha começado a criar uma família. Há tantas formas de ser mãe e esta é apenas mais uma delas. A sua experiência como mulher e mãe dá-lhe um olhar diferente quando está a fotografar e, para mim, isso é único. 

 

Este livro foi uma combinação perfeita para mim - gostei muito da história e também de conhecer o trabalho fotográfico dela. Foi muito interessante ter este apoio visual à medida que ia avançando no livro.

 

Para quem quiser conhecer melhor a trabalho dela:

 

Portfolio

 

 

Ofereceria este livro a: leitores que queiram ter uma perspetiva mais humana de questões internacionais, interessados em jornalismo/ fotojornalismo.

 

20
Fev19

A Difícil Arte de Pedir

Rita

"The Art of Asking" - Amanda Palmer

 

Quando andava à procura de um livro de uma autora feminina para o desafio Uma Dúzia de Livros, encontrei este na minha lista de livros a ler e pareceu-me a leitura certa para o desafio.

 

Este livro (ainda sem edição portuguesa) é baseado numa palestra TED que a autora deu em 2013 e que se tornou viral. Nela a artista americana Amanda Palmer fala acerca da importância de sabermos pedir. Durante o livro ela conta episódios engraçados da sua carreira em que ela pediu ajuda aos fãs/ ao público de um dos seus concertos/ a amigos/ a amigos de amigos... para conseguir chegar a um objetivo e de todas as coisas fantásticas que saíram desta interação com o outro.

 

No entanto, para mim, o melhor neste livro acabou por nem ser toda a questão do saber pedir/ saber dar/ saber receber. O ponto de vista da autora é muito interessante mas eu acho que ela já cobre todos esses pontos na palestra TED.

 

Para mim as ideias que mais me marcaram neste livro foram as reflexões que a autora fez acerca de partilhar as nossas criações com o mundo. A autora tem um conceito bastante abrangente acerca do que é arte e eu estou 100% de acordo com ela. Nunca foi tão fácil criar os nossos próprios projetos criativos e partilhá-los com o mundo todo. No entanto, acho que também os criadores nunca receberam tanto feedback negativo e destrutivo como nos dias de hoje. Para algumas pessoas, esta avalache de julgamentos vindos das redes sociais acerca do seu trabalho ou mesmo acerca da sua pessoa, pode ser suficiente para levá-la a não querer partilhar mais o seu trabalho com o mundo.

 

A autora não oferece nenhuma solução mágica para lidar com a crítica mas ao partilhar a forma como a encara, como ela se sentiu neste tipo de situações e e as estratégias que ela usa para criar algo positivo e construtivo a partir de feedback que muitas vezes só tinha a intenção de magoar, motiva-nos a todos a persistir em partilhar as nossas criações com o mundo lá fora.

 

 

Ofereceria este livro a: todos os que criam conteúdo e o disponibilizam ao público, todos os que têm medo de partilhar as suas criações com os outros

30
Jan19

O Primeiro Livro do Ano

Rita

The Magnolia Story - Chip + Joanna Gaines 

MagStory_1_of_10_1024x1024.jpg

(Fonte imagem: https://shop.magnolia.com/products/the-magnolia-story)


Se o primeiro livro do ano é um oráculo de como será o ano literário, então este será aberto a novas experiências e com lições de vida que me vão acompanhar durante muito tempo.

Como alguém que comprou agora a sua primeira casa, gosto de ver os programas de renovações de casas que andam por aí, sempre à procura de inspiração. Foi assim que conheci o programa deste simpático casal americano que renova casas antigas (muitas delas completamente inabitáveis) na cidade de Waco, no Texas. 

Quando li que eles tinham escrito um livro (ainda sem edição em Português) acerca da vida deles e das voltas que ela deu até chegarem onde estão agora, pensei que gostava de ler. 

Quando digo que gostava de ler - bem, acabei por não o ler mas ouvir. Já andava há algum tempo curiosa com os audiolivros. Não me imaginava a ouvir livros de ficção (acho que aí gosto muito do ato de me sentar e dedicar 100% da minha atenção àquele momento) mas achei que gostava de tentar para livros de não-ficção. E decidi experimentar com este.

IMG_20190124_142513.jpg

Foi uma escolha perfeita para esta primeira experiência - como o livro é narrado pelo próprio casal conseguimos entrar ainda melhor na história.

A experiência global foi muito positiva - gostei de como a história estava estruturada, gostei da partilha de episódios complicados e caricatos da vida deles e de como eles conseguiram sair destes, gostei de os ouvir relatar estes episódios como se estivessem ali ao meu lado, a falar comigo.

Ofereceria este livro a: um casal jovem que estivesse a iniciar o seu próprio negócio



Para quem quiser experimentar o serviço de audiolivros da Amazon: 

Audible

Para quem quiser acompanhar o trabalho do casal:

Blog da Joanna