Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livros da Mãe

Uma tradutora partilha o que anda a ler

Livros da Mãe

Uma tradutora partilha o que anda a ler

18
Mar19

Leitura Kafkiana

Rita

O Processo - Franz Kafka

 

IMG_20190314_145308.jpg

 

A proposta do desafio "Uma Dúzia de Livros" para o mês de Março era de lermos um clássico e assim o fiz. Passaram-me vários títulos pela cabeça mas acabei por ir resgatar este livro à minha estante.

 

O livro que escolhi foi então "O Processo" de Franz Kafka. A história centra-se na personagem de Josef K., que é informado numa certa manhã que está envolvido num processo judicial. Não lhe é dado qualquer tipo de explicação e o leitor acompanha essa sua viagem pelos labirínticos caminhos deste processo absurdo.

 

Não é fácil para mim dar uma opinião acerca deste livro. Talvez tenha de começar por explicar que a edição que tenho, foi traduzida por uma das pessoas mais importantes da minha vida. Esta pessoa está ao mesmo tempo entre nós e bem longe. Ela ainda está viva mas a demência transportou-a para um sítio onde nenhum de nós pode aceder a ela. À medida que lia o livro, sentia que ela falava comigo através dele. (Que saudades que sinto de ouvi-la e de falar com ela.)

 

Dava por mim a pensar porque é que ela tinha escolhido esta ou aquela palavra, a lembrar-me de certos episódios por causa de uma palavra que aparecia no livro. Foi uma sensação estranha e uma leitura como nunca tinha tido. Pareceu adequado isto acontecer num livro de Kafka, onde o absurdo é o normal...

 

Li há uns tempos atrás que o escritor Jorge Luis Borges encontrou um dia um jovem leitor que lhe disse que estava triste porque não tinha gostado do último livro dele. O escritor disse-lhe que não tinha problema porque isso queria apenas dizer que aquele livro não tinha sido escrito para ele. Pegando nesta ideia, tenho de dizer que este livro não foi escrito para mim também. Será o livro da vida de muitas pessoas mas, para mim, o valor dele acaba por residir num aspeto diferente. De uma forma totalmente kafkiana, este livro é simultaneamente o mais importante da minha estante e um, cuja história e os seus personagens, pura e simplesmente, não eram para mim...

07
Mar19

Nós, os Afogados

Rita

Nós, os Afogados - Carsten Jensen

IMG_20190306_124734.jpg

 

Gosto muito de literatura dos países escandinavos mas sinto que, muitas das vezes, quando leio livros dessa parte do mundo acabam por ser policiais. Não vejo nada de mal nisso - os escandinavos são mestres na escrita de policiais. No entanto, há tanto mais para ler e eu sinto que acabo por voltar sempre ao mesmo género.

 

Este livro dinamarquês conta a vida da pequena cidade marítima de Marstal entre 1852 e 1945. Toda a economia da cidade revolve à volta do mar por isso acompanhamos as viagens dos homens da cidade por diferentes pontos do globo e também a vida das mulheres e crianças que ficaram na cidade.

 

É um livro longo, com quase 800 páginas. No entanto, gostei tanto da escrita e da vida daquela cidade que acabei por lê-lo rapidamente. Sinto que as aventuras daquelas personagens vão acompanhar-me durante muito tempo. 

 

O livro foi traduzido do Dinamarquês por João Reis e é uma tradução fantástica. Gosto quando as editoras portuguesas asseguram a tradução a partir das línguas originais e esta está especialmente bem conseguida.

 

 

 

Para quem quiser algumas sugestões de livros do Norte da Europa, pode dar uma olhadela na minha estante escandinava no Goodreads.

 

 

 

Ofereceria este livro a: todos